jusbrasil.com.br
18 de Novembro de 2018

XI Exame: OAB registra 19,67% de aprovação na prova objetiva

Brasília O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulga nesta sexta-feira (06) a lista definitiva dos aprovados na prova objetiva do XI Exame de Ordem Unificado, já incluindo o resultado dos recursos que foram interpostos. Do total de 101.190 examinandos inscritos para a primeira fase, 97.835 estiveram presentes e, destes, 19.211 conseguiram êxito na prova, o que representa um percentual de aprovação de 19,67% entre os presentes.

O resultado final da fase objetiva já incluindo os resultados dos eventuais recursos interpostos será divulgado no dia 17 de setembro de 2013.

Os nomes dos aprovados na prova objetiva aparecem separados por Seccional da OAB, cidade de realização da prova, número de inscrição e nome do examinando em ordem alfabética. Obtiveram aprovação nesta primeira etapa os candidatos que acertaram 50% do total de 80 questões objetivas propostas. Para conferir a lista completa dos aprovados, clique aqui.

Conforme o coordenador Nacional do Exame de Ordem, Leonardo Avelino Duarte, o índice de aprovação está dentro da média histórica do Exame Unificado.

A prova prático-profissional ou etapa subjetiva para a qual só se submeterá o candidato que tiver sido aprovado nesta primeira fase está marcada para 06 de outubro deste ano. Nesta segunda e última etapa, conforme prevê o edital, os candidatos terão que redigir uma peça profissional valendo cinco pontos e responder a quatro questões (valendo 1,25 pontos cada) sob a forma de situações-problema, nas seguintes áreas de opção do examinando: Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito Empresarial, Direito Penal, Direito do Trabalho ou Direito Tributário e seu correspondente direito processual.

O Exame pode ser prestado por bacharel em Direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada. Podem realizá-lo os estudantes de Direito do último ano do curso de graduação em Direito ou do nono e décimo semestres. A aprovação é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB como advogado, conforme estabelece o artigo , IV, da Lei 8.906/1994.

Questão anulada

Após a análise da prova objetiva, a Coordenação Nacional do Exame de Ordem Unificado e a Fundação Getulio Vargas decidiram anular a questão de número 31 (prova branca).

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Conforme exposto a lista de aprovação dos 97.835, apenas 19.211 logrou exito em aprovação na primeira fase, onde não se adiantando muito mas deste resultado exposto apenas 10.000 irão conseguir passar na segunda fase. Portanto este r.órgão vai lucrar neste exame o seguintes valores. 101190 examinando no valor de R$200,00 cada um o resultado é de R$20.238,000,00, do qual apenas 9,67% irão passar, ou seja, no próximo exame novamente a mesma quantia, tendo em vista que ainda os 9,67% que passaram imediatamente pagaram a primeira anuidade de 700,00, o qual entrará nos caixas do r.órgão mais R$7.000,000,00, isto posto a quem este órgão presta contas??? será que é correto os nossos representantes Congresso Nacional continuarem com uma tapa no olho fazendo de conta que não estão enxergando nada, e os milhares de bacharéis em direito pagando uma conta tão alta, será que podemos falar em justiça num estado democrático de direito?? ou tudo o que vimos na faculdade de direito foi apenas ficção e fantoche, onde o professor pregou a justiça e o direito e ele não existe??? O que é um órgão impar no Estado Democrático de Direito, e onde esta as atribuições constitucionais para o funcionamento deste órgão????? eu estudei durante 05 longos anos e continuo ainda a estudar, e vi que a justiça por este r.órgão ela retroagem ao tempo da ditadura. Onde fingem que estão protegendo a sociedade e a Constituição e praticam o verdadeiro estelionato educacional com um nefasto exame de ordem que apenas faz reserva de mercado, com uma prova imoral, ilegal que fere a dignidade da pessoa humana, o principio da isonomia, ou seja este órgão rasga a constituição e não é punido porquê?? continuar lendo